• Cleise Souza

Fique com o que é seu


Tinha uma beleza radiante e fresca com os seus 26 anos de idade, porém queixava-se das dores generalizadas que sentia no seu corpo físico.

Era como se carregasse um peso além da sua capacidade.

Conhecia a prática da Constelações Familiares, várias terapias holísticas, gurus suspeitos e uma infinidade de práticas onde buscava sempre a sua cura.

Por ser muito racional e cartesiana, quando tentei empregar as técnicas e estratégias conhecidas, ela não conseguia abrir o seu campo emocional para se beneficiar das práticas.

Utilizei portanto, alternativas não conhecidas por ela, recorrendo às metáforas terapêuticas.

Algum progresso aconteceu, mas as dores continuaram . Antes do lado direito e depois do lado esquerdo.

Propus então que usássemos a nossa imaginação, como um sonho, uma viagem e a metáfora funcionou.

A partir da lembrança de uma foto em que ela aos dois anos de idade estava no colo do pai e a irmã mais nova no colo da mãe, ela descreveu que percebia que a fisionomia da criança era de tristeza.

E pedi que aprofundasse um pouco mais naquela tristeza e, imediatamente, a sua mente inconsciente que é sabia, verdadeira, trouxe o que precisava ser trabalhado.

Se viu então aos dois anos de idade, deitada na cama da mãe e a sua irmã mais nova deitada em cima dela.

O peso realmente era descomunal para aquela criança de 2 anos.

Pedi então, que ela tirasse a irmãzinha de cima dela, e que a adulta levasse a criança para fora do quarto e mostrasse a ela que havia se passado mais de 20 anos.

Em seguida utilizei a técnica reimprint, e como num passe de mágica as dores cessaram.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo